Menus de configuração no Painel de Administração

IBGA - Instituto Brasileiro de Gestão Avançada

O que Juno tem a ver com liderança, sua carreira e com sua empresa?

Estamos buscando problemas (Scott Bolton) Mas estamos prontos (Rick Nybakken)

A Agencia Espacial Americana – NASA comemorou no dia quatro deste mês o sucesso da Missão Juno, uma lição de liderança para todo o mundo.

Juno é o nome da sonda espacial que atualmente está orbitando o planeta Júpiter com objetivos bem definidos para a obtenção de dados sobre aquele planeta.

O que uma missão da NASA tem a ver com sua carreira, com liderança e com a sua empresa?


Para saber mais sobre o Que é PNL, acesse este link


O que Juno tem a ver com liderança, sua carreira e com sua empresa?

Empresas e carreiras vivem de resultados positivos ou se extinguem, como acontecerá com a sonda Juno, porém, até a sua extinção é parte do programa e tem uma finalidade planejada, que é evitar a contaminação do ambiente de Júpiter.

Lançada em 5 de agosto de 2011, do Cabo Canaveral, na Flórida, Juno que é uma sonda movida a energia solar percorreu 2,8 bilhões de quilômetros até chegar ao seu destino, no dia 4 de junto de 2016, onde ainda terá que realizar 37 voltas em torno de Júpiter. A data de chegada não foi escolhida por acaso, mas sim porque é a data da independência dos Estados Unidos.

Os objetivos da missão é a obtendo de dados sobre a atmosfera e o campo magnético do planeta e esta coleta de dados deve acontecer até fevereiro de 2018, quando será fará um mergulho suicida para se espatifar no planeta e ser destruída, como forma de evitar contaminações ao ambiente, provenientes de algumas substâncias terrenas ainda presentes em sua estrutura.

O que Juno tem a ver com sua carreira?

Uma carreira não pode acontecer por acaso, deve ter um plano estratégico, uma operação tática e usar seus conhecimentos como parte do processo para percorrer uma trajetória de sucesso, e precisa de liderança e auto liderança para você sair de onde está – Estado Atual – EA, ou estava e levar você a um Estado Desejado – ED, dentro de determinado tempo e obtendo resultados calculados, tanto em termos de conquistas de status, experiências e, claro, dinheiro.

Juno fez tudo isso. Mas vamos detalhar adiante.

O que Juno tem a ver com sua empresa?

Os projetos corporativos envolvem conhecimento, visão de futuro, planejamento estratégico, liderança, comunicação, relacionamento, negociação, engajamento de equipes, capacidade de lidar com riscos e adversidades e, claro, gerar lucros para os acionistas e o bem-estar de todos os envolvidos – Stakeholders. Tudo isso com o senso de preservação ambiental, uma exigência comum da sociedade e não mais uma escolha da empresa.

Se isso não estiver bem claro, sua empresa está improvisando e pode se extinguir a qualquer momento, não voluntariamente.

Agora vamos ver o que Juno tem a ver com tudo isso:

Liderança e Propósitos

A missão nasceu de um objetivo visionário, levar a sonda até Júpiter para coletar dados sobre a atmosfera do planeta, mas, principalmente, que a chegada no destino fosse no dia 4 de julho, dia da independência dos Estados Unidos. Isso pode parecer um detalhe sem importância, mas para qualquer americano é motivo de orgulho. A lição: a missão da NASA teve dois propósitos, um científico, ainda em andamento, e outro patriota, já alcançado.

Nas missões pessoais de carreira e corporativas ter um propósito é muito importante para aumentar o engajamento.

Utilização de conhecimentos teóricos como parte da estratégia

Wellington Rocha é um amigo que possui várias habilidades, é artista da pena, desenha como ninguém, é doutor em odontologia e ensina na Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG. Ele costuma dizer que a frase “A prática é mais importante do que a teoria” é uma babaquice. Para exemplificar isso ele cita as missões espaciais, pois nelas, principalmente nas primeiras, não seria possível realizar o feito sem os conhecimentos teóricos sobre gravidade, órbitas e outras leis da física. Recentemente o Doutor Wellington foi fazer um curso de desenho e se redescobriu, pois segundo ele, aprendeu pequenos segredos teóricos que elevaram suas habilidades na prática do desenho.

Nas empresas e nas carreiras isso pode definir os que ficarão só na tática (executores) dos que participam da estratégia (planejadores) ou dos bem-aventurados que sabem fazer as duas coisas (visionários).

A Missão Juno utilizou tudo isso, não de uma ou duas pessoas, mas de uma equipe multidisciplinar, na qual o conhecimento de muitos formou um único conhecimento. Portanto, valorize a prática, mas conheça a teoria. Este conhecimento fará com que você saiba não somente o que está fazendo, mas tenha convicção de que é bem fundamentado. Assim, erros serão mínimos. Não sei se houve erros na Missão Juno, mas se ocorreram foram resolvidos. E, certamente foram mínimos.

Não importa qual sua área de atuação, a teoria é importante para fundamentar e amplificar sua visão de mundo ou, o mais raro, desenvolver uma nova proposta teórica. Mas cuidado, pense que toda teoria que se preze deve entrar em campo na hora da tática operacional.

Tornar a estratégia um processo realizável – criar um plano tático

A NASA deve ter levado muito tempo da ideia ao projeto que pôs Juno no seu destino. Esta parte é a mais demorada de um projeto, é quando as ideias saem das cabeças, passam para o papel, são questionadas, discutidas, ganham colaborações diversas, destroem certezas, geram frustrações e júbilos e, finalmente partem para testes simulados por computadores, laboratórios, protótipos e depois vão para a execução final.

Na carreira e na condução de um negócio esta capacidade faz muita diferença.
 

Saber definir prazos, estabelecer cronogramas, realizar e esperar…

A NASA fez tudo isso, milimetricamente, sabia quando cada etapa do projeto entraria em execução, tinha as pessoas responsáveis exatamente no momento adequado e agindo de forma profissional. Sem isso, talvez eu não estaria aqui falando de Juno, pelo menos como exemplo de sucesso não.

Planejar, calcular etapas e datas, exigir a aplicação de processos, etc. Pode parecer burocrático demais, mas isso diferencia um projeto de uma improvisação. Vale para carreiras e para gestão de empresas.
Trabalho em equipe e liderança participativa

Se você assistiu pela TV, Internet ou assistiu ao vídeo viu como a equipe da NASA festejou o feito. Fazer o que fizeram era parte de suas obrigações profissionais, nem por isso deveriam agir como se fosse uma coisa qualquer.

A liderança é fundamental para o sucesso de um time, mas o sucesso de um time só é realmente consistente se cada um fizer bem a sua parte.

Como líder exija o máximo de si e de seus liderados.

Como membro de uma equipe compreenda as necessidades de cada um, suas colaborações e veja que você é um elo da corrente. A liderança só acontece depois da auto liderança.

Destruir paradigmas

Desapegar-se é importante. A desintegração de Juno será uma etapa do plano. Na carreira e na gestão é importante saber identificar o que não funciona mais e criar novas formas de fazer as coisas ou então acontecerão voltas infrutíferas desnecessárias.

De repente você nem precisa das 34 que Juno fará…


Curso(s) Relacionado(s) a este tema:


MBA – Pós Graduação em PNL, Coaching, Liderança e Gestão Estratégica

Curso Sincronia PNL – Relacionamento e Comunicação com a PNL

Conexão – Aprimoramento Pessoal e Profissional – Básico de PNL